Nada de pernas pro ar






A gente sonha, sonha alto, sonha em um dia ser o melhor, de chegar lá sem passar por momentos desagradáveis, sem esbarrar em ninguém e enfim ter o merecido prêmio, mas as coisas não funcionam bem assim, nesses 4 meses da minha ausência, presenciei os mais inexplicáveis momentos na minha vida onde são impossíveis descrevê-los em poucos parágrafos, mas que me deixaram o real significado de viver.
E nesse curto tempo pensar em desistir de tudo, dos sonhos e até mesmo da vida foi o único filme que rodava insanamente na minha cabeça, me distanciando de tudo e de todos, eu pensei que não seria capaz de me desviar desse botão chamado"play vai logo e faz, e acaba com tudo isso de uma vez", é quase que impossível controlar pois ele é muito mais forte que você. Mas quando você menos espera aparece aquele "anjo" na sua vida que faz (obrigatoriamente) você parar para refletir, de o porque pensar assim, o porque de acabar com a vida pois você ainda tem muitas paginas para rolar dessa história que só está começando chamada "vida". E que não tem o porque de colocar um fim justamente agora.
Me sentindo bem melhor agora, e disposto a enfrentar o mundo lá fora, tendo plena consciência ou não, sendo eu como sempre fui me jogando de cabeça nas coisas sendo o imaturo que sou, me importando mais com tolices em vez de comida EU MAIS UMA VEZ IREI DESBRAVAR O MUNDO!


Bem vindo Henrique essa é a continuação da História de cores...


(E como um morto eu ressuscito) 

Share:

0 comentários